Cerim├┤nia na C├ómara marca formatura do curso de braille promovido pela Escola do Legislativo de Paragua├žu – C├ómara Municipal de Paragua├žu

Cerim├┤nia na C├ómara marca formatura do curso de braille promovido pela Escola do Legislativo de Paragua├žu

porederpcu

Cerim├┤nia na C├ómara marca formatura do curso de braille promovido pela Escola do Legislativo de Paragua├žu


 

APRENDIZADO E CONHECIMENTO

 

05-02 081

Orientados pelo vereador e professor Nildo Ant├┤nio de Paiva, nove alunos da cidade enfrentaram as dificuldades do aprendizado de um sistema de leitura por meio do tato para concluir o primeiro curso promovido pela Escola do Legislativo de Paragua├žu. A iniciativa proporcionou aos alunos li├ž├Áes b├ísicas do m├ętodo braille, o mais utilizado em todo o mundo para disseminar a leitura entre deficientes visuais. O esfor├žo da turma foi recompensado no ├║ltimo dia 28 de mar├žo, quando a C├ómara sediou a cerim├┤nia de formatura.

O curso de braille b├ísico teve in├şcio no ├║ltimo dia 5 de fevereiro como um projeto pioneiro da rec├ęm-criada Escola do Legislativo em Paragua├žu, foi totalmente gratuito e aberto a qualquer pessoa da comunidade, com prefer├¬ncia para servidores que trabalham no setor da Educa├ž├úo. Em sete semanas de aula e carga de 21 horas, os alunos desenvolveram as habilidades para dominar os mecanismos b├ísicos da escrita, sempre sob a apurada orienta├ž├úo do professor Nildo, que ├ę deficiente visual e domina o m├ętodo desde 1988.

A solenidade na C├ómara reuniu, al├ęm dos formandos, seus familiares, os vereadores e a equipe da Escola do Legislativo. Receberam seus certificados os alunos Andrea Maria de Melo,┬áAline Maria Junqueira Costa, Camila Passioni, Cristina de F├ítima Ara├║jo, Delane Pereira Bueno, Fl├ívia Villacorta Bueno, Irisnara Dias Cassimiro Souza, Marta Maria Junqueira Costa e Vanessa de Oliveira Costa.

CONHECIMENTO BICENTENÁRIO
O sistema Braille ├ę um processo de escrita e leitura baseado em 64 s├şmbolos em relevo, resultantes da combina├ž├úo de at├ę seis pontos dispostos em duas colunas de tr├¬s pontos cada. Pode-se fazer a representa├ž├úo tanto de letras, como algarismos e sinais de pontua├ž├úo. Ele ├ę utilizado por pessoas cegas ou com baixa vis├úo, e a leitura ├ę feita da esquerda para a direita, ao toque de uma ou duas m├úos ao mesmo tempo.

O c├│digo foi criado pelo franc├¬s Louis Braille, que perdeu a vis├úo aos tr├¬s anos e criou o sistema aos 16, no ano de 1824. Ele teve o olho perfurado por uma ferramenta na oficina do pai, que trabalhava com couro. Ap├│s o incidente, o menino teve uma infec├ž├úo grave, resultando em cegueira nos dois olhos.

O Brasil conhece o sistema desde 1854, data da inaugura├ž├úo do Instituto Benjamin Constant, no Rio de Janeiro, chamado, ├á ├ępoca, Imperial Instituto dos Meninos Cegos. Hoje em dia o c├│digo est├í difundido pelo mundo todo e h├í dados de que 400 mil pessoas dominam o braille no nosso pa├şs. A capacita├ž├úo ├ę feita por institutos como o Benjamin Constant, o Dorina Nowill e outras iniciativas como a da Escola do Legislativo de Paragua├žu.

05-02 070 05-02 071 05-02 072 05-02 073 05-02 074 05-02 075 05-02 076 05-02 077 05-02 080 05-02 083 05-02 084


Sobre o Autor

ederpcu administrator

Deixe uma resposta