Em reuni√£o na C√Ęmara, secret√°rio de Agricultura e Meio Ambiente de El√≥i Mendes busca informa√ß√Ķes sobre programa de castra√ß√£o de c√£es – C√Ęmara Municipal de Paragua√ßu

Em reuni√£o na C√Ęmara, secret√°rio de Agricultura e Meio Ambiente de El√≥i Mendes busca informa√ß√Ķes sobre programa de castra√ß√£o de c√£es

porederpcu

Em reuni√£o na C√Ęmara, secret√°rio de Agricultura e Meio Ambiente de El√≥i Mendes busca informa√ß√Ķes sobre programa de castra√ß√£o de c√£es


 

CONTATOS REGIONAIS

 

1
 
 
Na tarde da √ļltima quinta-feira, 5 de fevereiro, a C√Ęmara recebeu a visita do secret√°rio municipal de Agricultura e Meio Ambiente de El√≥i Mendes, Paulo Ant√īnio Ferreira, para um encontro que marcou a sequ√™ncia de um trabalho pioneiro e de longo prazo que vem sendo realizado em Paragua√ßu.

Reunido com o presidente e o primeiro-secret√°rio da C√Ęmara, Marlon Tom√© e Professor Rafael, Paulo Lob√£o, como √© conhecido, buscou refer√™ncias sobre a campanha de castra√ß√£o de c√£es que desde o ano passado vem sendo implementada no munic√≠pio.

Com financiamento do Executivo e apoio log√≠stico do Gruppac, o Grupo Paragua√ßuense de Apoio aos C√£es, diversas cadelas j√° passaram pela mesa de opera√ß√Ķes do m√©dico veterin√°rio T√ļlio Esdras Alvarenga. Depois de uma interven√ß√£o cir√ļrgica r√°pida, elas s√£o encaminhadas para ado√ß√£o ou voltam √†s ruas j√° sem a capacidade de se reproduzir.

2

De acordo com o secret√°rio, os eloienses vivenciam o mesmo problema verificado aqui e h√° tempos v√™m estudando medidas de controle ao crescimento desenfreado do n√ļmero de animais de rua. Como a experi√™ncia de Paragua√ßu parece ser um caminho vi√°vel para o poder p√ļblico, a troca de informa√ß√Ķes mostrou-se uma iniciativa necess√°ria.

O secret√°rio de El√≥i Mendes ressaltou a necessidade de buscar ajuda para resolver um problema que se configura um desafio inclusive para a sa√ļde p√ļblica.

 

secretario eloi

‚ÄúN√≥s viemos pegar experi√™ncia do trabalho realizado em Paragua√ßu e possivelmente implantar em El√≥i Mendes‚ÄĚ, explicou Paulo.

‚ÄúN√≥s tamb√©m estamos sofrendo com o problema dos c√£es, que acarreta v√°rios danos, doen√ßas, ataques de carrapatos. H√° v√°rios anos vivemos isso e temos que tomar uma atitude mais dr√°stica. √Č nossa obriga√ß√£o fazer isso e a popula√ß√£o est√° cobrando solu√ß√Ķes‚ÄĚ, completou.

REGIONALIZAR √Č O CAMINHO

Do lado paragua√ßuense, a reuni√£o tamb√©m teve significativa relev√Ęncia porque as lideran√ßas envolvidas na campanha de castra√ß√£o entendem que o trabalho ser√° tanto mais efetivo quanto mais amplo for o programa. O prop√≥sito √© criar um circuito regional de castra√ß√£o, para que a popula√ß√£o canina mantenha-se controlada num espa√ßo territorial maior.

Um dos líderes deste movimento, o vereador Marlon Tomé analisou positivamente a iniciativa do encontro e apresentou os próximos planos da campanha.

‚ÄúDentro do projeto de castra√ß√£o de c√£es de rua, n√≥s tivemos a ideia de regionalizar o trabalho: a mesma coisa que se faz em Paragua√ßu propusemos que seja feita nas cidades vizinhas. Entendemos que isso √© importante para ampliar e dar mais efetividade ao trabalho‚ÄĚ, avaliou o presidente da C√Ęmara.


Sobre o Autor

ederpcu administrator

Deixe uma resposta