Projeto de resolução altera horário das sessões semanais da Câmara de Paraguaçu e divide opiniões em plenário – Câmara Municipal de Paraguaçu

Projeto de resolução altera horário das sessões semanais da Câmara de Paraguaçu e divide opiniões em plenário

porederpcu

Projeto de resolução altera horário das sessões semanais da Câmara de Paraguaçu e divide opiniões em plenário


 

REUNIÃO DOS VEREADORES

Um projeto de resolução de autoria da Mesa Diretora da Câmara dividiu o plenário na noite de 24 de março. A proposta firmada na semana anterior visava alterar o horário das reuniões ordinárias dos vereadores de 19h para as 15h, mas a ideia gerou muita discussão, opondo pontos de vista contrastantes em uma longa sessão entre os vereadores.

A ideia manifestada no projeto de resolução apresentado pela Mesa Diretora da Câmara e assinado por Marlon Tomé, Professor Nildo e Professor Rafael era trazer a reunião para o horário de expediente da Casa, com início marcado para as 15h. Entre as justificativas listadas na matéria, destaca-se que a mudança de horário pode facilitar a presença de servidores e secretários municipais nas sessões, especialmente nas situações de convites e convocações, além de liberar o período noturno para que os vereadores fortaleçam o contato com a população.

Favoráveis à mudança, os vereadores Professor Nildo, José Maria Ramos, Professor Rafael e Francis da Van apresentaram um a um seus argumentos.

“A mudança de horário, a meu ver, é uma tentativa de trazer mais pessoas à Câmara, inclusive as pessoas que moram na área rural. Nós estamos na terceira sessão legislativa e até hoje nenhuma pessoa da área rural sequer usou a tribuna. À noite é muito mais difícil para se ter transporte. E nós podemos criar ou dar a possibilidade para que as escolas possam trazer seus alunos para assistir às reuniões”, comentou Nildo.

“Infelizmente hoje no horário que estamos realizando, temos tido pouca presença. Sabemos que em diversos municípios a Câmara já realiza suas reuniões durante o dia e tem dado muito certo. A intenção da Mesa é melhorar, para termos uma reunião mais dinâmica”, disse José Maria.

“Estamos abertos a novas experiências. Nós podemos retornar, acho que isso não é demérito para ninguém, mas é uma tentativa, é uma possibilidade de tentar fazer com que o trabalho legislativo possa ser melhor. Se nós conseguirmos aumentar a participação popular na Câmara, valeu a pena. Se não conseguirmos, retornaremos. Acredito que o horário não é o que vai definir uma melhora da nossa função”, salientou Professor Rafael.

“Os secretários municipais a gente convoca, convida para vir nessa Casa, muitas vezes não vêm, principalmente à noite. Dentro do horário comercial, que justificativa eles teriam? Seria mais fácil para conseguir trazê-los aqui nessa Casa. Falar que a gente está se escondendo do povo não faz sentido, porque a gente está na Câmara todo dia. A gente tem que dar uma chance à experiência”, complementou Francis.

CRÍTICAS À MEDIDA

Do lado oposto no debate, a proposta de mudança no horário enfrentou grande resistência entre os demais vereadores. Rafael da Quadra e Joaquim Bocudo, por exemplo, não enxergaram benefícios na alteração.

“Com sinceridade, acho que não tem fundamento a mudança do horário, até porque é um horário comercial e vai impossibilitar muito a vinda das pessoas na Câmara. Se for por questão de número de pessoas, à noite comparecem três ou quatro pessoas e durante o dia não compareceu ninguém nas reuniões extraordinárias que fizemos”, explicou Rafael.

“Que interesse há na mudança? Eu não sei. Estou no meu quarto mandato e toda a vida as reuniões foram à noite”, relembrou Joaquim.

Componente da Mesa Diretora, Claudiney Teté explicou que não assinou o projeto por discordar da ideia de levar as reuniões para o período da tarde.

“Eu até era um dos autores que era para ter assinado o projeto, mas estive conversando com muitas pessoas que me disseram que isso seria uma forma da gente fugir da população. Respeito a opinião de todos, mas não vejo melhoria nenhuma para a população. Se um dia tiver aqui uma polêmica, a maioria das pessoas que teria vontade de vir não vai vir, por ser um horário que está todo mundo trabalhando”, ressaltou.

No pronunciamento mais enfático da noite, o opositor Selmo Silva apontou o que ele considera inconsistências nos argumentos pela mudança e criticou a decisão do plenário.

“Fiquei surpreso com esse projeto, que vem dificultar o acesso do povo nessa Casa. Como uma pessoa que trabalha nas indústrias durante o dia vai vir na Câmara reivindicar o seu direito, algum pedido da comunidade, do seu bairro, às três horas da tarde? Algumas pessoas gostam de participar de reuniões, principalmente nos projetos polêmicos que interferem no dia a dia da nossa comunidade. Com a mudança do horário, essas pessoas não vão poder vir. E as pessoas que trabalham de empregados também terão dificuldade para se candidatar a vereador. Caso sejam eleitos, como que vai fazer? Se quiser ser vereador, vai ter que abandonar o emprego”, protestou Selmo.

 

PARA SEGUIR ACOMPANHANDO
Sendo às 19h ou às 15h, quem não pode comparecer às reuniões continuará tendo a oportunidade de acompanhar as sessões pelos canais de comunicação da Câmara na Rádio Objetiva, na TV Objetiva e no Youtube. Fique ligado!

Confira na íntegra a reunião em que o projeto foi aprovado:

 


Sobre o Autor

ederpcu administrator

Deixe uma resposta